sistemas de iluminação

Sempre falamos da importância dos projetos iluminotécnicos. Claro, eles são o planejamento de como a iluminação reagirá no ambiente. E precisa, sim, ser prioridade. Nele, também, existem uma série de informações sobre o sistema de iluminação.

Neste artigo, vamos falar sobre o que é um sistema de iluminação. E como eles dão luz e vida aos ambientes.

Importância de um sistema de iluminação

O primeiro passo de um projeto é definir o sistema de iluminação. Este deve ser pensado com base em três critérios básicos:

  • Distribuição da luz no ambiente;
  • Papel das luminárias na distribuição da luz;
  • Ambientação pretendida para o espaço.

Os três pontos estão ligados diretamente a atividade exercida no ambiente. Laborais ou não. Por isso, conhecer profundamente o ambiente faz toda a diferença.

É preciso saber a rotina, as características físicas e a personalidade dos usuários. Isto auxilia a escolher o melhore sistema de iluminação e traz sucesso ao projeto.

Distribuição da luz no ambiente

A classificação dos sistemas de iluminação é feita de acordo com a distribuição das luminárias no ambiente. E com base nos efeitos que elas produzirão sobre o local.

Iluminação geral

A distribuição da luz no ambiente gera uma iluminação homogênea, uniforme e regular no ambiente. E não há variações de luminosidade.

Este sistema de iluminação é indicado para ambientes comerciais, armazéns, escolas, supermercados e lojas. Em áreas onde as atividades são laborais e produtivas.

A principal vantagem dele é a garantia de um ambiente flexível em termos de layout. O que permite uma melhor distribuição interna da iluminação.

As desvantagens são o não atendimento de necessidades de grandes quantidades de luz em planos específicos. Além disto, possui um consumo maior de energia e pode limitar o controle de ofuscamento.

Iluminação localizada

Distribui a luz de maneira mais concentrada nas áreas de principal interesse. Porém, as luminárias são postas em uma altura que assegure luz nas regiões adjacentes.

Este sistema de iluminação é indicado para escritórios, fábricas, escolas, supermercados e lojas. Ele proporciona uma iluminação adequada ao plano de trabalho

As principais vantagens são a economia de energia, em relação a iluminação geral, e o melhor controle do ofuscamento.

Já com relação as desvantagens são as a falta de flexibilidade na distribuição interna da iluminação. Isto porque, caso o layout seja alterado, a iluminação também precisará se deslocar. Logo, esse sistema de iluminação precisa do complemento da iluminação geral.

Iluminação de tarefa

A iluminação é direcionada especificamente em uma estação de trabalho.

É indicado para mesas de escritórios, bancadas em fábricas ou laboratórios, residências em home office e cantos de leitura.

A economia de energia e o controle de ofuscamento ganham destaque novamente entre as vantagens. Já no contraponto, a necessidade de uma iluminação geral de complemento surge, novamente.

Como as luminárias distribuem a iluminação?

Os sistemas de iluminação são classificados a partir da distribuição proporcionada. Esta classificação se dá através da quantidade de fluxo luminoso, para cima e para baixo, da luminária. Nisto, temos algumas divisões:

  • Direto: o fluxo luminoso é dirigido para o plano;
  • Semidireto: maior parte dirigido para o plano e o restante para cima;
  • Indireto: dirigido para cima;
  • Semi-indireto: maior parte dirigido para cima e o restante para o plano;
  • Misto: dirigido parte para baixo, parte para cima.

Tipo de ambientação

O projeto iluminotécnico conta com mais de um sistema de iluminação. O primeiro é o sistema principal, que atenderá as necessidades básicas do espaço. O segundo é o secundário, que dará personalidade ao ambiente.

Neste sentido, temos quatro tipos de “luzes”:

Luz de destaque

As luzes de destaque chamam atenção para um determinado aspecto arquitetônico ou artístico. O ideal é que a luz de destaque tenha de 3 a 10 vezes mais fluxo luminoso que a iluminação geral.

Para esta tarefa, o mais recomendado são os spots com lâmpadas de facho.

Luz de efeito

A luz, aqui, se torna o elemento principal. Ela assume papel inteiramente decorativo. Jogos com fachos e luz projetados nas paredes ou no piso criam contrastes decorativos belíssimos.

Luz decorativa

A estrela é a luminária, aqui. Estas peças criam uma área de interesse no ambiente. Porém, isto não garante a completa iluminação.

Luz arquitetônica

As luzes são incorporadas a elementos arquitetônicos, como sacadas e corrimãos. A luz arquitetônica faz a integração entre iluminação e construção.


O uso adequado de mais de um sistema de iluminação melhora o desempenho do projeto iluminotécnico. E, além de trazer um conforto maior aos ambientes, torna tudo ainda mais bonito.

Escrito por Equipe G-light
A G-Light é atualmente uma das maiores empresas de iluminação do país. Além, de investir em inovação, preza pelo desenvolvimento de soluções em iluminação que agreguem economia, design atrativo, qualidade e tecnologia sustentável sempre buscando a satisfação do cliente. Aqui você encontrará dicas, informações e curiosidades sobre iluminação.